sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

LINDOS

FEIOS, PORÉM LINDOS!
"As feias que me perdoem, mas beleza é fundamental". Era um poeta maravilhoso, esse Vinicius de Moraes, mas deixou imortalizada uma frase que jamais sairia da boca de uma mulher.
Aos feios, as mulheres dão boas vindas, desde que por trás do olho que não é azul e do corpo que não é atlético haja bom humor, inteligência e sex appeal. Nunca veremos Brad Pitt e George Clooney namorando feinhas, mas já vimos Julia Roberts casar com Lyle Lovatt, um músico que tinha o rosto decorado com crateras, e a estonteante Sharon Stone desfilar com baixinhos barrigudos até contrair matrimônio com um senhor que mais parece um boneco de cêra.
Há quem defenda a idéia de que mulheres casam com qualquer um, desde que tenha poder ou dinheiro. Poucas. Não foi o caso de Julia Roberts nem o de Sharon Stone, ricas e poderosas por si só, e também não é o caso de muitas Lucias, Andreas, Cristinas, Danielas, Fernandas e Jussaras anônimas. Mulheres preferem ser amadas do que invejadas. Essa história de beleza tem a ver com atração, que tem a ver com "a primeira impressão é a que fica", que tem a ver com inícios de relações. Se a garota for um canhão, as chances de conquistar um deus são quase zero (é uma generalização, toda regra tem exceções). Já se o garoto for feio, porém espirituoso, talentoso e auto-confiante, pode descolar o número do telefone da Marisa Monte. Lembrem-se que ela já namorou o Nando Reis, dos Titãs. Alguma coisa ele tem de lindo.
Mick Jagger é raquítico e branquela. Gerald Thomas é raquítico, branquela e usa óculos. Woody Allen é raquítico, branquela, usa óculos e está quase careca. Apesar desse quadro de horror, sei de muita mulher que não os expulsariam da sua cama. Será que elas nunca ouviram falar em Mel Gibson, Antonio Banderas, Pedro Bial?
Elas nunca ouviram falar é que beleza garanta o conteúdo.
Mulher tem faro, não se contenta com a embalagem. É bem mais comum ver uma mulher linda acompanhada de um homem aparentemente sem graça do que o contrário. Não é (só) porque a concorrência é implacável e nos contentamos com o que sobra. É porque mulher tem raio-x: consegue olhar o que se esconde lá dentro. Se além de um belo coração e um cérebro em atividade ele ainda for apetecível, é lucro. Pena que a recíproca raramente seja verdadeira. Economizaríamos fortunas em cabeleireiros** e academias se os homens fossem direto ao que interessa, na alma e no espírito, para os quais não adianta maquiagem.
** Epaaaaa! Com isso eu não concordo!... kkkkkkkkk

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

ARTE COM ROLHA

Depois de um post especial sobre ADEGAS/CAVES, me veio à cabeça as peças que tenho visto usando rolhas de cortiça recicladas... supercriativas e lindas!
A Cortiça, segundo a wikipedia, é um material de origem vegetal da casca dos sobreiros(Quercus suber), com grande poder isolante. A cortiça amadia é a de maior qualidade, sendo por isso a mais valorizada, e a única que pode ser utilizada para o fabricação de rolhas. Atualmente, a cortiça é uma matéria-prima nobre cuja utilização se extende a variadas ramos, como: revestimentos de solos, isolantes (térmicos e acústicos), na fabricação de instrumentos musicais, em artigos de decoração, nos componentes para calçados e para o setor industrial de diversos segmentos (automóvel, bebidas, construção alvenaria, decoração, entre outros).
Portugal, com uma área de 730 mil hectares de sobro, é responsável por mais de 50% da produção mundial de cortiça.

A rolha , em especial, é um objeto geralmente cilíndrico utilizada principalmente para a retenção de líquidos e/ou gases em recipientes.
E com o passar do tempo, principalmente depois de algumas festividades, as rolhas de cortiça amontoam-se. Em vez de as jogar no lixo, porque não as utilizar para fazer outros objetos decorativos e úteis? Frequentemente, jogamos fora coisas que poderíamos facilmente reaproveitar, se tivessemos boas idéias.
Decorar a casa com peças especiais, e sem gastar muito dinheiro, não é difícil se soubermos aproveitar algumas destas idéias a seguir:

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

UM CANTINHO INEBRIANTE

Nao sou exatamente a pessoa mais indicada para falar sobre VINHOS. O meu conhecimento nesta área é bem limitado, já que não sou uma grande apreciadora de bebidas alcóolicas, de uma maneira geral. Porém, como estou cercada por pessoas que adoram um bom vinho (o Rai é um grande apreciador!.. a minha Mammy também! O Murilo também.. daí para frente!), acabei conhecendo um pouco mais deste mundinho.
Como arquiteta, também preciso conhecer alguns detalhes importantes para poder projetar uma cave/adega funcional e com a estética apropriada para cada prosposta de ambientação, desde as mais rústicas até as mais modernas.
Aqueles que apreciam a arte de beber um bom vinho, sabem que não é apenas sacar a rolha e beber. Tudo que envolve a magia da clássica bebida merece uma certa pompa. Da escolha do tipo da uva, da safra, o ritual de abrir a garrafa, as taças, os aromas, a espera por um momento especial (quando o vinho por fim "se abre"... rs... essa expressão, por vezes, dá o que falar!.. kkkkkkkkkkk), as pessoas que estão juntas, o local onde ele está sendo degustado... enfim, beber vinho, para estes filoenólogos, é considerado um ato "artístico"... rs!

Seja por puro prazer, seja em ocasiões de negócios, existe toda uma "simbologia"em torno de uma garrafa de vinho. Assim, trouxe hoje uma série de idéias que achei na net para este CANTINHO MUITO INEBRIANTE!... Espero que curtam! Beijos